ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBERTO SAMPAIO

Notas de Apoio à Disciplina de Sociologia

 

3.5. A resistência à mudança

A resistência à mudança

Como vimos, o ritmo e a extensão da mudança dependerá do grau de aceitação e de resistência a essa mudança. Vários são os factos que podem impulsionar o ritmo de mudança ou retardá-lo e, consequentemente, aumentar a resistência.

A resistência à mudança pode ser favorecida por vários factores, nomeadamente:

  • Integração cultural muito grande, isto é, uma grande interdependência dos elementos dessa cultura. Neste tipo de sociedade, a estruturação é muito rígida tal como a definição de papéis, comportamentos, etc., impedindo a aceitação da mudança.

  • Imobilismo social e cultural que perdure durante muito tempo leva os indivíduos a tomarem atitudes etnocêntricas e a rejeitarem toda e qualquer mudança. Pelo contrário, uma sociedade que se modifica está mais disposta a aceitar mudança.

  • Necessidades de mudança não sentidas pelos membros da sociedade. Enquanto os membros de uma sociedade não sentirem necessidade de algumas mudanças estas não surgem e se forem postas em prática não são aceites.

  • Pouca acumulação de conhecimentos e técnicas. À medida que a sociedade se desenvolve tecnologicamente torna-se mais viável o aparecimento de um número cada vez maior de inovações que poderão ser aplicadas noutros campos.

  • Quando um processo de mudança implica a desvalorização de atitudes, de valores específicos e da cultura da sociedade em questão a consequência é a rejeição da mudança. Uma vez que vem colidir com atitudes e valores que se prezam, e entra em conflito também com a cultura existente. Duma maneira geral, a mudança acarreta sempre custos para a sociedade, pois tem efeitos sobre a cultura dessa mesma sociedade, modificando-a e envolve mesmo alguns custos específicos. São poucas as mudanças que se adicionam à cultura existente. Normalmente, implicam transformações culturais.

  • Interesses adquiridos. A mudança normalmente vai atingir alguns privilégios e os seus detentores. Estes, obviamente, irão pôr essa mudança em causa e rejeitá-la. Em 1579, por exemplo, o Conselho de Dantzig, ordenou o estrangulamento de um inventor de um tear aperfeiçoado, em virtude das pressões exercidas pelos tecelões.

  • Direito vigente numa determinada sociedade. As leis também podem ser um travão relativamente à mudança, quando se revelam desajustadas à realidade social a que se destinam. Por outro lado, o Direito pode ser um elemento facilitador da mudança, na medida em que pode impor um comportamento mais de acordo com a mudança social, podendo até modificar a estrutura social de uma determinada sociedade.

 Silvestre, M. e Moinhos, M. (2001). Sociologia 12.º ano. 3.ª ed. Lisboa: Lisboa editora, pp. 246-247.

 

Endereço

Telefone

Fax

Correio Electrónico

Rua Álvaro Carneiro
4710-216 BRAGA

+351 253 204 220

+351 253 204 224
+351 253 204 228

info@esec-alberto-sampaio.rcts.pt

(c) 2002 António Padrão

 

Anterior Início